17.3.10




















reaprendo os dias para a eternidade
porque onde termina o corpo deve começar
outra coisa outro corpo
ouço o rumor do vento
vai
alma vai
até onde quiseres
Al Berto

4 comentários:

Ribeiro Pedreira disse...

habitando outra coisa, outro corpo, aonde quer que tua alma vá, só encontrará amor.
Beijos, vida!

Primeira Pessoa disse...

al berto é tudo de bom. ainda esta semana postei um poemaço dele em meu blog.

bom vê-la divulgando poesia (da boa!) em seu blog.

Geraldo de Barros disse...

que lindo isso, nossa lindo mesmo!

=)

Sylvia Araujo disse...

Ah que delícia de branquidão por aqui... Branco cheio de vento, cheio de corpo, cheio de alma, cheinho de cores!
Vai, alma, vai...
se entrega!

Beijoca