11.8.10

Pouso da Palavra

do poeta Damário da Cruz





Cada
pássaro
sabe
a rota
do retorno.
Cada
pássaro
sabe
a rota
de si.
Cada
pássaro,
na rota,
sabe-se
pássaro.

11 comentários:

claudio rodrigues disse...

Os passaros têm esse radar. Nós humanos somos perdidos por natureza. Adorei esse fundo de madeira, tão poético, rústico. E essa foto do pinoquio com o grilo na sombra, heim...beijos

Ribeiro Pedreira disse...

saber-se pássaro é se perceber livre para escolher a rota.
meus beijos!

Jaya Magalhães disse...

Às vezes me acho, mas nunca que me sei. Passarinha.

Um beijo, Renata.

nydia bonetti disse...

Às vezes voa alto demais - chegaa perto do sol e se queima... Pra renascer depois, outra vez - pássaro. Beijo!

Ana Tapadas disse...

Que poema lindo!
beijo

Andrea de Godoy Neto disse...

e o que pode ser melhor do que ser pássaro? avoar..avoa..avoou

beijos

renata carneiro disse...

a passos pássaro, passo.
é sempre delicoso voar por aqui!

um beijo!

AC disse...

Os pássaros há muito se sabem pássaros, e não aspiram a mais. Só nós, humanos, aspiramos a tudo o que nos ultrapassa. E é tanto...!

Beijo :)

aluisio martins disse...

e caso não se saiba, cumpre a missão do vôo, pois a vida é ávida de mais vida sempre...
lindo sítio
um lindo estado... um mundo por ser lido com calma e alma...
abs

Luciano Fraga disse...

Amiga, bela lembrança e homenagem ao poeta Damário, lembra Quintana:

"Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!"

Abraço.

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Cada
pássaro
sabe
a rota
de si.
" e nisso vamos nós sem asas caindo em por vezes vazios, ainda bemq ue é só por vezes
Ps- vc recebeu o livro? postei ha duas semanas