11.10.09

Maestria

Coisa mais antiga. Amanheci Bossa Nova.
Não é nostalgia. É felicidade serena.
Um sentimento ébrio, boêmio e bom. Que se acaba às oito, eu sei.
Aí vivo uma nota só. Que nem samba é...
Veja bem. Não é que eu não goste desta afinação monocrática. Um toque de sol tem o seu prazer.
Mas é só isto: um sol eternizado.
Eu gosto mesmo é da harmonia do crepúsculo. Nada ruidosa. Mas múltipla. E, principalmente, momentânea. Essa instabilidade me fascina. É o encanto do imprevisível. Tão perfeito no instante, quanto efêmero.
O giro que se completa.
Já são seis. Regresso para o centro. Uma plenitude solitária. Uma sensação de volta que me deixa livre. É o tom da minha vida.
Sorrio, feliz.

4 comentários:

Tiago F. Moralles disse...

Viver uma nota só.
Isso sim é harmonia.

Eu, Dan' [...] disse...

De perfeição eu já sabia que brincavas, só não entendia a tua harmonia, íntegra, bifásica, democrática, remendável... Um show de sensibilidade. Saudades Vagarosa

Encantada disse...

Saudades Dan, ando percorrendo o avesso da pele... entre o presente e o ausente, retalhos do que serei. E tú? por ondes andas? sou olfativa sabes disso e não tenho sentido a tua cor...

Encantada disse...

Ti, eu daqui pensando em compor uma trilha sonora...
ai!ai!