11.12.09

Deitando com a chuva

É tempo de meio silêncio,
De boca gelada e suspiro,
De palavra indireta, aviso na esquina.
Tempo de cinco sentidos num só.

Drummond

4 comentários:

claudio rodrigues disse...

Esse poema é uma sinestesia só. Todos os sentidos convergindo para a explosão do viver. Amo Drummond e amo você, por sua sensibilidade. Bjo de fimde.

Renata Luciana disse...

amo. a tua presença e esse universo das sensações e todas as vezes que transborda na 'entrega'.

Com amor,

Tiago Moralles disse...

Tempo de perder os sentidos também.

Mara faturi disse...

Adoro falar dos silêncios tb;0
LINDOOOOOOOOO!!!!!
bjo!