1.2.10

 Por Gisela Ramos Rosa



Todos os nomes todos os dias
as coisas dispostas
num tabuleiro de paixões que construímos
com a sublimação da pele e do sentido
combinando os liames da fala
às vezes muda às vezes surda
e os braços articulando emoções

com as mãos tocando
tédios, paixões
dias, anos
Vida

5 comentários:

Tiago Moralles disse...

Entregas cotidianas.

Gian Fabra disse...

e ainda fez um coração...

great!

Renata Luciana disse...

Gian

Estado de pulsação. Entrega do afeto.

Beijos

renata carneiro disse...

entregar é verbo de tododia.
pequenas doses cotidianas.

beijos!

Mara faturi disse...

Te leio com olhos , coração e com as mãos ( qdo retorno)...
muito bom passear em tua poesia;)
bjo