2.7.10

Azul

 "O azul não me cansa.

uma ave voando não significa que está partindo

Uma ave voando pode estar regressando"

14 comentários:

Sylvia Araujo disse...

Ah, pode... :)


Carpinejar é uma coisa, né Lu?

Beijoca

Ribeiro Pedreira disse...

regressar é regra de saudade. reencontro de ninho.

Geraldo de Barros disse...

lindo, que esse final de semana seja assim de uma azul que não se cansa ;)

beijos
G

Tiago Moralles disse...

Pequenas grandes verdades.

Por que você faz poema? disse...

E um passaro numa gaiola é somente saudade.

Primeira Pessoa disse...

o azul é a cor mais azul que existe.

não me farto de repetir.

abração do
roberto.

C.Antonholi disse...

Legal seu blog.
Visite e siga os meus também:

www.microcontos180.blogspot.com

www.micropoetricidade.blogspot.com


saudações literárias

Andrea de Godoy Neto disse...

ah, Renata, o azul e pássaros voando, inda mais se estiverem regressando...me despertam felicidade imensa.

beijos

Fouad Talal disse...

menina,

eu vi o carpinejar na bienal aqui de minas... um tanto afetado, mas mestre em aforismos!

bjo nocês...

Saca só a palavra de verificação: eximpar

aluisio martins disse...

Ida e volta não passam de relatividade. Sempre se sai de um ponto ao outro. Sempre estamos chegando porque sempre estamos partindo nesse imenso viver, no vasto azul de nossa existência. Tudo azul por aqui...

A.S. disse...

Uma ave voando no azul talvez procure um sonho perdido na imensidão! Quem procura um sonho nunca se cansa...

BeijO
AL

Sílc disse...

Renata: Lindo seu Texto!
Para voc~e com carinho
AZUL DE VOCÊ...

Azul foi a cor
dentre tantas escolhida para identificar o amor.
Havia somente uma
coloração acinzentada em meu interior,
como a neblina que antecede as
chuvas invernais...
E desisti da melancolia, sobrepujei a agonia,
revelando o
desejo de sorrir uma vez mais...
Descobri a cor quando
escrevi seu nome no cantinho da tela,
onde bordei lembranças em
várias nuanças, que me trouxeram
a fragrância que imaginei ter
esquecido.

Meu lábio tremeu ao perceber o azul de você,
inconfundível,
na confusão de sentimentos.
O azul que conheço, o
meu céu, o começo de um abraço e
o som do sussurro que me encanta,
quando você enfim,
se declara enamorado.

E me lambuzo do mel
que degusto de seus lábios.

Iveti Specorte ♥
Sílvia

Beto Palaio disse...

Estava regressando e passei para te ver...

AC disse...

É bom partir, é bom regressar, é bom andar por aí... sempre com azul cor de fundo!

Bjs