19.12.10

'A trupe de Saltimbancos' ... Colorindo as noites natalinas

Em algum lugar, no fundo do humano coração


 morava a inocência






Sai de casa povo!
Vamo ri de novo
aquecê o coração


Um sorriso desse é que vale
E pede que minha boca fale
E que eu mude meu caminho





Desejo meu é tê o mundo aberto
e os pé livre pra percorrê
distância




Oi, abra a roda, olha o coco
Abre os ouvido quem tá mouco
Sossega o facho quem tá louco
Que o riso em festa sempre é pouco






 O amor abre as portas 
deste e de qualquer mundo

* CIA. Carroça de Mamulengos na noite do dia 18/12 [Natal da Cidade]



4 comentários:

Pensamento e Fumaça disse...

Renata!
Minha imensa admiração por você e por esse espaço tão grandioso onde de fato existe literatura como matéria segundária ao sentimento!
Bom estar aqui e poder me entregar...

Uma saudade enorme daqui e de você lá no Pensamento!

Um beijo já com cheiro de natal!
Mell

Ribeiro Pedreira disse...

o instante existe
existe e de tão intenso
é nobre
e tão feliz que sobra
encanto pelo que revela
a fotografia.

o sonho permanece
no que do amor
prevalece.

meus beijos mamulengos!

Wania disse...

Renata

O amor é chave mestra!
Lindo, lindo, lindo... um sopro de esperança nestes tempos tão áridos.

Um Natal e 2011 cheios de sonhos realizados pra ti e todos os teus. Bj carinhoso, amiga!

Por que você faz poema? disse...

Adeus, ano novo!