25.1.11

R E T A L H O S


deito-me em vão pedaços

flores

cores

vazios

 R E T A L H O S meus

dói

me alinhavar

Por vezes

costuro

 minha

face 

única

 não . nunca

cresci

inteira


8 comentários:

Ribeiro Pedreira disse...

em desalinho
deitar-se
é sofrer de não ter sido
o retalho
que cobrisse o coração
justo
apertado.

Lara Amaral disse...

Bem bonito, Renata!

Beijinho.

Mell Renault disse...

Tenho paixão por cada nota deixada aqui, sou suspeita, amo o exercício de "versiar"... sua poesia toca de tal modo a me deixar nua, completamente entregue, desde o início, desde sempre.

Queria poder trocar umas prozas, tomar um café, conversar até mais tarde...e quem sabe sugerir um tema, uma palavra para depois ser traída por ele.
Um beijo!

CARLA STOPA disse...

Retalhos e cacos compondo mosaicos...

Gisa disse...

Retalhos unidos formam um novo todo. Um beijo. Gostei muito, portanto, sigo-te

MAILSON FURTADO disse...

Belo blog!

Belo post!

Gostei muito, parabéns! Voltarei aqui mais vezes!

Convidaria vc a conhecer meu trabalho (poesia, musica, teatro)

Ficaria Feliz demais!!! http://mailsonfurtado.com

Lua Nunes disse...

Que delicia de post!

Joana Francesa disse...

pedaços soltos, outros costurados, e ainda assim faltam retalhos coloridos.
Bom estar por aqui... agente sente que nossos pedaços estão presos em alguma frase, poesia, gravura... e vamos juntando nossos fochicos....
Parabéns Rê...
beijos